Saiba tudo sobre os inusitados e surpreendentes vinhos da Romênia

Ao lembrar da Romênia, muitos vão associar o país ao feito da ex-ginasta Nadia Elena Comaneci durante os Jogos Olímpicos de Montreal em 1976 quando uma pequena menina, com 14 anos na época, tirou o dez perfeito e fez o chamado all around, que significa tirar dez em todas as finais que participou. Mas, o país é muito mais do que apenas um celeiro de excelentes ginastas. É um local privilegiado pela localização, clima e pelo relevo para a produção de vinhos, sabia?

Bucareste é a capital da Romênia
Bucareste é a capital da Romênia

Características gerais

A Romênia é um grande produtor de vinho (230.000 ha e 12 milhões de hectolitros). Durante muito tempo, foi o quinto maior da Europa, produzindo principalmente brancos (60%). A perda de seus mercados tradicionais na Europa Oriental levou a uma reestruturação significativa de suas vinhas – apenas aquelas com potencial de boa qualidade provavelmente sobreviveram com a ajuda da União Europeia e de outros investidores ocidentais.

Plantadas pela primeira vez ao longo das margens do Mar Negro há cerca de 3.000 anos, durante os tempos dos gregos antigos, as videiras se espalharam por todo o país e prosperaram na Transilvânia durante a Idade Média, com a chegada dos produtores de vinho saxões.

Existem até 50 apelações diferentes, principalmente espalhadas pela Moldávia no leste, Dobrudja no sudeste, Transilvânia no centro e Oltenia nas encostas do sul dos Cárpatos. Os vinhos mais famosos são os brancos de Cotnari na Moldávia romena.

Vinhos brancos são a maioria produzida
Vinhos brancos são a maioria produzida

Cotnari

No canto nordeste da Romênia, perto da República da Moldávia, fica o pequeno distrito vinícola de Cotnari. Antes famoso por seus doces vinhos brancos, ainda sofre sérias deficiências a partir dos 50 anos do domínio comunista, mesmo que seu potencial ainda esteja lá. As uvas são afetadas pela podridão nobre necessária para produzir os melhores vinhos; mas a rigorosa seleção de bagas que também é essencial para este trabalho nem sempre é praticada, e vinhos muito diferentes podem ser encontrados sob a mesma denominação.

Variedades de Uvas

  • Grasa (semelhante a Furmint húngara e facilmente afetada por Botrytis cinerae ou podridão nobre);
  • Feteasca Alba;
  • Feteasca Neagra;
  • Francusa;
  • Tamaiosa Romaneasca.

Solo

O solo é de argila e calcário, em encostas íngremes e muito irregular. A denominação produz uma ampla variedade de qualidade, desde excelentes vinhos doces até secos. Os melhores são caracterizados pelos sabores de moscatel, assumindo notas de especiarias à medida que envelhecem. Dependendo da qualidade podem durar mais de 20 anos.

Dealu Mare

Os vinicultores de Dealu Mare, sul da Romênia, localizada na mesma latitude de Bordeaux e dos vinhedos toscanos aguardam ansiosamente a colheita. O grupo está aumentando a produção de vinhos nobres e tenta se afastar da tradição local de misturar vinho e água com gás. Está claro que é uma área que tem enorme potencial e tem o dever de aproveitar ao máximo essa oportunidade.

A Romênia é o sexto maior produtor da bebida na União Europeia. Os vinhos do país eram muito doces e foram produzidos em grande quantidade sobre o regime comunista ficando com uma reputação ruim no exterior.

Mas, estrangeiros decidiram investir em algumas variedades de uvas como a Feteasca Neagra com aromas de frutas do bosque e uvas passas, sabor de ameixa seca com uma acidez equilibrada e dulçor controlado. Vemos um novo mundo dentro da Europa e a Romênia faz parte desses novos países que se destacam no continente. É um mundo particular, como o Chile e a Austrália.

Feteasca Neagra é uma casta de uva indígena tinta autêntica
Feteasca Neagra é uma casta de uva indígena tinta autêntica

O vinho romeno também experimenta um renascimento entre os consumidores do próprio país, apenas 3% da produção é exportada. A maioria dos vinhos produzidos na região é vendida localmente e os apaixonados pela bebida estão dispostos a pagar mais pela qualidade.

Hoje, vendemos vinhos romenos por cerca de US$ 78,00 e eles valem à pena. Os consumidores que são degustadores internacionais fazem bons elogios aos produtos. Depois de conquistar os romenos, os produtores esperam atrair ainda mais consumidores fora do país.

Curiosidades romenas

O país conhecido como a terra natal do Conde Drácula, onde está o Castelul Bran, seu castelo, na Transilvânia, possui dinheiro de plástico! Sim, as notas são fabricadas para dar mais durabilidade. Um Leu que é a moeda nacional equivale a R$ 0,95. Você pode até lavar com água o dinheiro e deixar ele limpinho! As cédulas não amassam e podem ser guardadas por muito tempo que não estragam tanto quanto às de papel-moeda. Apesar de estar na União Europeia desde 2007, não quiseram usar o Euro.

Castelo Bran, a famosa residência do Conde Drácula fica na Transilvânia
Castelo Bran, a famosa residência do Conde Drácula fica na Transilvânia

A língua romena é de origem latina e é a única desse tipo falada no Leste Europeu, visto que os demais países tem sua base linguística na origem eslava. A população do país é de 22 milhões de pessoas e tem o tamanho quase igual do estado de São Paulo.

Na Romênia existe um local conhecido como Cemitério Alegre, que fica no vilarejo de Sapânta, ao Norte do país. Os túmulos tem cruzes de madeira coloridas e os epitáfios são com tom divertido, piadas e defeitos das pessoas.

Os ursos pardos costumam nos verões invadir as cidades para buscar comidas e assustam as pessoas porque o número deste mamífero é enorme. Assim, como os lobos que são comumente vistos em diversas regiões.

O melhor mel do mundo foi considerado o da Romênia porque ele é cheio de propriedades, fantástico e biológico. Muitos restaurantes internacionais com estrela Michelin compram esse mel para colocar nas sobremesas e doces.

Assim, a Wine Lovers, pensando em trazer vinhos cada vez mais incomuns, acessíveis e inspiradores decidiu incluir ao seu portfólio seis vinhos da Romênia, sendo eles da vinícola Iconic State, membro do Grupo Alexandrion, de três linhas diferentes: Prahova Valley: Feteasca Alba, Feteasca Neagra, Merlot e Merlot Rosé; Byzantium: Blanc, Rosé e Rosso; e Rhein Extra: Brut Imperial e Brut Rosé. Agora possuímos mais essas opções para atender o nosso cliente que é um verdadeiro apaixonado por essa bebida. Conheça os vinhos romenos aqui!.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *