Como escolher vinhos para festas

Eventos com familiares e amigos, aniversários e comemorações especiais pedem uma atenção cuidadosa com a bebida e a comida, não é mesmo? Por isso, existem vinhos para festas que são os preferidos para estas ocasiões, sendo os espumantes, champagnes e cavas sempre os mais indicados para brindar com estilo e muitas borbulhas! Você sabe qual a diferença entre eles? Se ainda tem dúvida, vamos esclarecer agora.

Espumantes, champagnes e cavas

O tipo de vinho denominado espumante pode ser desde um elegante champagne francês até um cava espanhol. Este vinho se transforma com a idade, são ricos em borbulhas, reconfortantes, tostados, cheios de frutas maduras quando são produzidos nos vinhedos quentes do Novo Mundo. Sua mistura clássica é usar chardonnay, pinot noir e pinot meunier para desenvolver sabores frutados com firmeza e fragrância.

Na segunda fermentação na garrafa e em contato com as leveduras no final deste processo, os espumantes de qualidade adquirem caráter complexo, que lembra biscoito. O bom champagne tem sabores de manteiga, nozes, torrada e biscoito e suas bolhas trazem uma sensação de cócegas mantendo um equilíbrio na sua degustação. Portanto, todo champagne é um espumante; mas nem todo espumante é um champagne. Assim como, todo cava é um espumante, mas nem todo espumante é um cava. Sabe por quê?

Champagne

Tem todos os elementos de um espumante como vivacidade, frescor, aromas complexos, boca ricamente equilibrada por fina acidez e além disso tudo é uma bebida gloriosa e inigualável feita em uma região vinícola ao norte da França. Aliás, a demoninação de um espumante como champagne só pode ser feita se as uvas forem colhidas e produzidas em uma faixa que se estende por 150km de norte a sul e 115km de leste a oeste. Seu coração é Épernay que se localiza entre três das maiores e mais renomadas regiões: Côte de Blancs, Vallée de la Marne e Montagne de Reims.

O clima frio e o amadurecimento lento dos frutos conferem uma alta acidez, o que é um fator crucial para o processo prolongado de envelhecimento do champagne. O local está exposto aos ventos e tempestades do Canal da Mancha, mas os vinhedos em planícies ficam protegidos devido às colinas e encostas ao longo do vale dos rios.

O método tradicional foi criado na região de Champagne e desenvolvido ao longo do tempo, o foco sempre é na qualidade e exige muito trabalho e dedicação do produtor. Desde a colheita, preferencialmente manual até a rolhagem. Com primeira e segunda fermentações, amadurecimento, remoção de sedimentos e dosage, que significa uma pequena quantidade de vinho reservado e açúcar acrescentado que irá ser perdido quando da abertura da rolha ou degola.

Champagne é o espumante mais conhecido do mundo

Champagne premiada

A Wine Enthusiast é uma revista norte-americana totalmente voltada ao mundo dos vinhos. Criada em 1988 por Adam e Sybil Strum, a publicação é considerada uma das mais importantes do segmento, ao lado das revistas The Wine Advocate e Wine Spectator. Recentemente pontuou as champagnes Dom Caudron com notas acima de 80. Entre elas a Camille Philippe Rosé com 89 pontos.

A Wine Lovers tem em seu portfólio a champagne Camille Philippe Rosé, da vinícola francesa Dom Caudron. Com 80% pinot meunier, 10% chardonnay e 10% meunier em sua composição. A vinificação é tradicional, mas 80% da uva pinot meunier é vinificada em vinho branco, 10% da meunier em vinho tinto e 10% da chardonnay em barris de carvalho. Fica por dois anos envelhecendo sobre as borras dentro da garrafa. As borbulhas em abundância são finas e elegantes. Possui notas cítricas de frutos vermelhos, nuances de mel e brioche. Na boca é cremoso, untuoso e com bela acidez. Este rosé é perfeito como aperitivo, acompanhando um jantar especial ou como sobremesa com crumble de morango.

Formato da garrafa

Apesar do champagne ter nascido na França, o formato utilizado de garrafa é obrigatório para todos os espumantes do mundo, apenas o formato e não a denominação! Vinhos espumantes (brancos ou rosés) só podem ser chamados como champagnes se forem produzidos na região administrativa de Champagne-Ardenne, nordeste da França.

É um formato reconhecido de longe por seu pescoço longo, ombros caídos e curvas delicadas. Lembra o conhecido formato de Borgonha. Tem um vidro mais grosso e base côncava, para suportar a alta pressão interna provocada pelo dióxido de carbono, que produz as deliciosas “borbulhas”, consequência deste tipo de vinificação. A rolha cilíndrica, característica mais distinta do formato champagne, toma a forma de um cogumelo e é presa por uma armação de arame, que assegura sua estabilidade.

Formato obrigatório para todos os espumantes

Taças para espumantes

A taça flûte possui corpo comprido e fino, para manter por mais tempo as bolhas, ou seja, o perlage, dos espumantes, champanhes e cavas. E a taça vintage possui haste comprida e fina, mas o corpo em formato de triângulo invertido. Tem bojo mais largo, por isso concentra melhor os sabores dessas bebidas, no entanto deixa escapar as bolhas. Muito utilizadas em festas refinadas é conhecida também como taça coupe.

Cava

O Cava é um espumante elaborado pelo método tradicional do champagne desde a década de 1860, na Espanha. A maior parte é vendida no mercado interno, mas há crescente interesse na comercialização dos vinhos que possuem alta qualidade. Em 2001, este tipo de bebida superou o champagne e tornou-se o vinho espumante mais vendido no mundo.

A cidade de Sant Sadurní d’Anoia, em Penedès, localizada no nordeste da Espanha, supre cerca de 90% da produção de cava, mas o vinho não está restrito a um só local geográfico. As cepas são cultivadas por toda a Catalunha e as uvas de várias áreas podem ser misturadas desde que os vinhedos sejam previamente denominados.

As principais uvas utilizadas na produção dos cavas são a parellada, que traz para a bebida um corpo suave e cremoso; a xarel-lo, que apresenta complexidade e estrutura e a macabeo com sua acidez e vivacidade inconfundíveis. Outras permitidas pela denominação são a chardonnay e para os rosés a garnacha, a monastrell e a trepat. Para ser um cava brut clássico deve ter uma acidez cremosa e suave, adstringência, com fruta viva.

Uva chardonnay, a rainha das brancas, pode ser utilizada em cavas

Cavas incríveis

Cava Brut Musso de Casarojo D.O.P, da vinícola espanhola Casa Rojo, tem 100% macabeo. É um espumante orgânico elaborado pelo método tradicional com leveduras naturais. De cor esverdeado, borbulhas persistentes e refinadas. Aroma de frutas brancas e notas cítricas. Elegante final de brioche amanteigado. Na boca é fácil e redondo com uma efervescência que evolui no paladar, dando um sabor prolongado. Harmoniza com aperitivos leves e suaves, canapés de salmão defumado, saladas e carnes brancas. Ideal em festas e comemorações.

Da vinícola espanhola, Bodegas Romale (www.bodegasromale.com), sugerimos o Cava Romale Brut Nature Rosé, com 100% garnacha. Sua colheita é manual, fermentação em cuba de aço inoxidável e maceração a frio com as cascas e o mosto por 10 horas. Possui aromas intensos de frutas vermelhas. Na boca é redondo e muito equilibrado. Harmoniza bem com mariscos, aperitivos, patês, saladas, pescados e carnes brancas suaves.

Espumantes rosés também são muito procurados

Espumantes selecionados

Que tal conhecer os nossos espumantes brancos e rosés. Marina Espumante (Espanha); Aphros PAN Espumante Rosé BIO, Aphros Phaunus PET NAT Extra Brut e Bojador Espumante Brut (Portugal); Veuve Tailhan Blanc de Blancs Brut (França) e Ema Sparling Extra Brut (Chile).

O Marina Espumante, da vinícola espanhola Bodegas Bocopa, com 100% moscatel de Alexandria. É elaborado pelo método Charmat, onde a segunda fermentação é realizada em ambiente fechado, isto é, sem deixar escapar o gás carbônico. De cor clara, cristalina e brilhante. Bolhas minúsculas se desprendem em grande quantidade e intensidade formando um belo perlage. No nariz mostra-se potente, elegante e fino, com uma bela expressão varietal da moscatel, complementada por notas cítricas e de frutas tropicais. Longo, delicado e balanceado. Na boca apresenta toques frutados e bolhas finas que o tornam refrescante e leve. Excelente opção para “welcome drink”, com petit fours ou para acompanhar uma sobremesa leve, com frutas.

Aphros PAN Espumante, da vinícola portuguesa Aphros Winery, com 100% vinhão. Espumante rosé biodinâmico elaborado com o mesmo método de um champagne. De uma coloração rosa cereja. Apresenta vigor, persistência, notas de romã, frutas silvestres e folhas secas. Na boca possui muita complexidade, cremosidade e o frescor que tanto encanta. Harmoniza com datas festivas, comemorações, petiscos, entradas como ceviche, tartar de salmão e frutos do mar.

Outro espumante biodinâmico é o Aphros Phaunus PET NAT Extra Brut, com 100% loureiro. Maceração com peles, fermentação entre 14 a 16 dias em cubas de aço inox, finalizando em garrafa. Dégorgement após 5 meses. Método de vinificação de espumantes utilizado por nossos ancestrais, feito de uma única fermentação sem adição de açúcares ou leveduras. No nariz possui aroma floral devido à variedade loureiro e delicado citrus. Na boca apresenta bolhas finas, sensação de mousse, citrus e doçura. Acompanha bem entradas, caviar e peixes gordos.

Da vinícola portuguesa, Espaço Rural, temos o Bojador Espumante Brut, com 100% arinto. Espumante orgânico de fermentação alcoólica e malolática do vinho base em cubas de inox. Segunda fermentação alcoólica em garrafa a temperaturas controladas. Estágio Dégorgement após um estágio de nove meses sobre a própria borra. De cor verde citrina, borbulhas finas e persistentes. Aroma cítrico, boa frescura e mineralidade. Excelente como “welcome drink”, entradas, peixes e frutos do mar.

Veuve Tailhan Blanc de Blancs Brut, da vinícola francesa Boisset – La Famille des Grands Vins. Composta pelas uvas airen, ugni blanc, colombard, durello, macabeo e chardonnay. Fermentação natural e envelhecimento por no mínimo três meses. De cor dourada suave, bouquet dominante de polpa de fruta branca, maçã e pera. Perfeito como “welcome drink”.

Ema Sparling Extra Brut, da vinícola chilena Santa Ema, com 80% chardonnay e 20% pinot noir. Espumante elaborado pelo método tradicional de fermentação em garrafa, com um período de guarda de 18 meses sobre sua borra. De cor amarelo dourado, transparente, com borbulhas finas e persistentes. Aroma de frutas brancas, marmelada, mel, notas de amêndoa tostada. Na boca é elegante, complexo e cremoso. Com final fresco e agradável acidez. Ideal com petiscos, queijos macios, frutos do mar, carnes brancas e frutas. Ganhou diversos prêmios, entre eles a Medalha de Ouro do Catad’Or 2017 e 91 pontos no Descorchados 2017.

Agora, que conhece mais sobre os espumantes, champagnes e cavas. Que tal comemorar conosco o primeiro ano do Blog Wine Lovers? Entre no site: www.winelovers.com.br e escolha o seu!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *