Carta de Vinhos de um Restaurante: Tutorial fácil

Ir a um restaurante é uma experiência muito agradável para a maioria das pessoas. Em vários casos, as ordens de pedido são de pratos da gastronomia que o local oferece e tem como carro-chefe da casa. Para tornar esse momento ainda mais prazeroso, opta-se por fazer uma harmonização com bebidas. Daí percebe-se a importância de uma boa carta de vinhos. Você sabe como escolher o vinho certo para cada comida?

Primeiro Passo

Primeiro é preciso se certificar de que o local em que está disposto a almoçar ou jantar tem uma boa adega, ou seja, oferece opções interessantes e com excelente relação custo-benefício. Às vezes, esse quesito acaba sendo determinante para se conhecer vinhos exclusivos que não estão à disposição de todos.

Outra questão, o restaurante tem um sommelier ou um maître especializado? É o profissional responsável por tudo que está relacionado com o vinho durante a refeição. Pode recomendar a melhor opção para acompanhar a bebida, decantar e servir o vinho.

A adega de um restaurante deve conter vinhos de diversos países, diferentes safras e uvas

Segundo Passo

Depois de confirmado que o restaurante tem uma adega variada e possui uma pessoa que irá instruir os clientes no mundo do vinho, pode verificar outra questão muito importante também. Qual a faixa de preço e preferências por região, uva e tipo de vinho.

Essa lista é facilmente decidida com o auxílio da carta de vinhos. Ela é como o cartão de visitas de um restaurante. O ideal é sua simplicidade, contendo o nome do vinho, o país ou região em que foi produzido, a safra e se possível as uvas que compõe esse varietal e claro, os preços.

Carta de vinho contém todas as informações necessárias para uma boa escolha

Terceiro Passo

Se a carta de vinhos não for tão completa, o melhor é apostar na indicação do  sommelier que poderá explicar mais sobre cada vinho, principalmente quando se está com convidados, familiares ou amigos e não se quer errar nessa hora.

Um bom conselho é pedir rótulos e safras que já são conhecidas ou experimentadas para ficar na zona de conforto. Àqueles que são mais experientes podem aventurar-se e achar grandes tesouros e oportunidades únicas. Afinal, são poucas as pessoas que conseguem possuir uma adega tão vasta e cheia de novidades a cada quatro ou seis meses.

Quarto Passo

Depois da escolha, o sommelier deve trazer a garrafa fechada para que o cliente faça a conferência do nome do vinho e da safra. Se tudo estiver correto, a garrafa pode ser aberta na frente do cliente e então será a fase de experimentar uma pequena quantidade para garantir que o vinho esteja perfeito. Sem qualquer defeito, como quando tem gosto de cortiça – bouchoneé, por exemplo.

Se perceber alguma coisa estranha, devolva a garrafa imediatamente. Alguns restaurantes permitem que o cliente leve seu vinho, e para isso, podem “cobrar a rolha”. É melhor confirmar o preço antes de aparecer com a sua garrafa para momentos especiais debaixo do braço.

Sommelier pode indicar a melhor opção para harmonizar com o prato escolhido

Quinto Passo

O serviço de vinho é também muito apreciado, isto significa a ordem em que cada tipo deve ser levado à mesa. Observe como tradicionalmente deve ser feito.

  • Branco antes de Tinto
  • Branco Seco antes de Doce
  • Tinto Leve antes de Encorpado
  • Menor Qualidade antes de Maior Qualidade

Alguns vinhos combinam com a maioria das refeições. Ao pedir pratos diferentes, as meias-garrafas podem ter a quantidade certa para cada pessoa. Escolha vinhos de corpo médio, não tente fazer algo apenas para agradar os outros. Dos brancos, opte entre chardonnay, sauvignon blanc e sémillion. Dos tintos, fique com o pinot noir, merlot e blend de cabernet sauvignon/merlot.

Se estiver em um restaurante com pratos típicos de uma região ou culinária específica, prefira os vinhos da mesma localidade. Na dúvida, escolha um tinto especial ou branco da Itália, pois normalmente harmonizam bem com diversos pratos.

Recomendações Wine Lovers

A Wine Lovers, tem alguns de seus vinhos em restaurantes renomados nas capitais de São Paulo e Rio de Janeiro. Mas, você pode desfutar de vinhos com excelente qualidade, se adquirir um destes:

O Saint Gènés Bordeaux Blanc, da vinícola francesa, Vignobles Famille Courselle, possui 30% sauvignon blanc, 30% sauvignon gris e 40% sémillion. Com notas de frutas exóticas (citrinos, abacaxis e toranjas) e aromas florestais. É um vinho fresco, redondo e bem equilibrado. Combina com carnes brancas, peixes, ostras e queijos. Pode ser pedido no início com a entrada e aperitivos.

O Casa de Uco El Salvaje Blend des Blancs, da vinícola argentina, Casa de Uco Private Vineyards & Wine Resort, possui 35% sauvignon blanc, 25% chardonnay, 25% pinot gris e 15% torrontés. É um vinho que possui forte acidez, fruta e frescura, além de ser bem estruturado pelo envelhecimento das uvas chardonnay e pinot gris. Harmoniza bem com frutos do mar, saladas, massas ao molho de queijo, frutas e queijos macios. É um vinho que pode servir de acompanhamento para a salada, entrada leve e com o prato principal desde que seguindo as combinações devidas.

O Halstead Vineyards Pinot Noir, da vinícola californiana, Anders-Lane Artisan Wines, possui 100% pinot noir. Vinho com sabores de frutas vermelhas como cereja e framboesa, especiarias, couro e cedro com acidez equilibrada, açúcar e acidez na medida. Rico, saboroso e com taninos polidos. Pode ser apreciado durante o prato principal de massas com molho vermelho ou sozinho.

O Foffani Merlot, da vinícola italiana, Azienda Agricola Foffani, possui 100% merlot. De cor vermelho rubi intensa, aromas de boa intensidade com presença de frutas vermelhas e ameixas. Taninos e grau alcoólico leves, corpo médio, frutado e média persistência. É um vinho redondo, elegante para ser servido com carnes, embutidos e queijos. Pratos principais e acompanhamentos ficam bem harmonizados com ele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *