5 fatores pouco conhecidos sobre o vinho shiraz

O vinho Shiraz é mundialmente conhecido por sua potência, coloração escura, teor de tanino, densidade, graduação alcoólica e aromas e sabor de especiarias.

O cultivo da uva syrah ou shiraz agrada a muitos produtores do mundo do vinho, mas o processo de vinificação do vinho shiraz não é fácil. Originária da França, é descendente da uva Dureza (tinta), parente distante da Pinot Noir com a Mondeuse Blanche (branca), e se adaptou muito bem no Vale do Rhône ao Norte da França, mas também é muito cultivada no Sul francês para a produção de vinhos mesclados, na Austrália e em diversos países. Mas, por muitos anos acreditou-se que era uma cepa vinda da Pérsia!

Primeiro fator

Se familiarizar com as cepas mais importantes é uma das melhores maneiras de apreciar todas as variedades de sabores e estilos dos vinhos do mundo. Assim, saiba que a uva syrah é considerada uma das mais excepcionais porque produz vinhos tintos perfumados, com estrutura e bom envelhecimento.

Na França, essa cepa é chamada por syrah. No novo mundo recebeu o nome de shiraz e atualmente é responsável por alguns dos vinhos mais desejados da Austrália, principalmente nos Vales de Barossa, Hunter e McLaren, porque geram bebidas mais maduras e intensas devido ao clima quente.

A uva syrah francesa tem cor profunda e é mais encorpada, com sabores de frutas negras, pimenta e borracha queimada. A uva shiraz australiana produz um vinho mais intenso e maduro. Dependendo do local em que a uva é plantada pode ser encontrada diferenças entre a intensidade do sabor da fruta e consequentemente do vinho shiraz.

Uva shiraz se destaca das demais cepas por seu sabor e cor
Uva shiraz se destaca das demais cepas por seu sabor e cor

Segundo fator

O vinho shiraz deve ser apreciado em uma taça Bordeaux porque esta possui bojo grande, bordas mais fechadas. Esse formato impulsiona a bebida para a ponta da língua e é ideal para tintos desta potência, caso também das uvas cabernet sauvignon, merlot e malbec.

Este é o vinho que mais preenche o paladar por possuir a uva shiraz que tem sabor de ameixa condimentada e alcaçuz. Ele tem cor escura na taça, nariz intenso de frutas negras doces e depois boca densa e aveludada. O segredo é o amadurecimento das uvas que normalmente são resistentes e sobrevivem em vinhedos muito quentes. Esses tintos cheios, potentes e condimentados evoluem em adega, mas sua característica madura torna-os frutados para ser bebidos ainda jovens. Para equilibrar o forte sabor de fruta utiliza-se barris de carvalho na maioria das vezes para produzir os melhores vinhos.

Taça bordeaux é a mais indicada para vinhos intensos e profundos
Taça bordeaux é a mais indicada para vinhos intensos e profundos

Terceiro fator

Apenas a uva syrah é cultivada em 5 áreas de vinhedos ou crus: Cornas, Côte Rôtie, Crozes-Hermitage, Hermitage e St-Joseph. Essas regiões do Norte da França têm estações bem pronunciadas, de clima continental clássico, verões quentes, invernos frios, portanto ideal para o seu cultivo, pois precisa de calor menos intenso.

Nasce em terrenos acidentados, com encostas íngremes de xisto elevando-se até um platô de 350m acima do vale. Seus vinhedos seguem o curso do rio Rhône começando na cidade de Vienne até Valence. Por causa do declive e da erosão, são necessários terraços de rocha seca e estacas de madeira para as treliças.

Nos anos de 1960, essas AOCs (Apellation d’Origine Contrôlée) produziam o vinho branco da uva Viognier e estavam ameaçadas de extinção por falta de investimento e interesse. Felizmente as novas gerações revigoraram o plantio que hoje soma mais de 77,000ha e produzem aproximadamente 2 milhões de hl de vinhos tintos (83%), rosés (12%) e brancos (5%). O vinho shiraz é um tinto fabuloso, de cor profunda, aroma exuberante de frutas escuras, violeta e especiarias.

Terraços íngremes com vinhas da uva syrah na Côte Rôtie, Norte da França
Terraços íngremes com vinhas da uva syrah na Côte Rôtie, Norte da França

Quarto fator

O vinho shiraz mais expressivo é produzido em Cornas, no Vale do Rhône (França) devido ao clima, exposição solar e solo. A shiraz é uma uva que cresce melhor em terrenos graníticos – o terroir do norte do Vale do Rhône é ideal. Os vinhos que produzem Cornas são cultivados em clima semi-continental, em solos contendo depósitos de lodo em terraços íngremes sustentados por muros de contenção.

Esta denominação no norte do Vale do Rhône é a principal escolhida regionalmente. Syrah é a única variedade de uva a ser cultivada lá e os vinhos produzidos são finos e poderosos, de cor vermelho escuro. Os aromas são de fruta vermelha suave juntamente com toques de especiarias e violetas. À medida que envelhece, evolui para aromas de trufas, âmbar, alcaçuz e frutas cozidas.

A combinação do terroir e a variedade de uva influencia fortemente na personalidade do vinho. Em alguns vinhedos, os fatores de qualidade combinados com a expressão da cepa resulta em um vinho único e especial, caso deste onde é cultivada a uva syrah.

Cornas e Syrah, o casamento perfeito
Cornas e Syrah, o casamento perfeito

Quinto fator

A Wine Lovers possui diversos vinhos com a uva shiraz/syrah para você experimentar:

ARGENTINA

Agostino Finca Reserva Malbec/Syrah, da vinícola Finca Agostino, localizada na região de Mendoza, com 70% syrah e 30% malbec. Maceração pelicular a frio durante 72 horas. Fermentação tradicional com remontagens permanentes durante os primeiros dias. Fermentação malolática. Os dois tipos de uvas são envelhecidos separadamente em barris de carvalho francês durante 10 meses. Realiza-se o blend e o vinho é engarrafado, descansando durante 6 meses. O corte apresenta uma cor granada escura com reflexos violetas. No nariz aromas de frutas secas, com notas minerais e suaves toques de ameixa madura. Sabores de especiarias, textura aveludada, grande corpo e complexidade. Harmoniza com guisado de lentilhas, carne de porco grelhada e carnes de caça.

Da mesma vinícola destaca-se também o vinho Agostino Família Gran Reserva Blend, com 50% malbec, 20% petit verdot, 20% cabernet sauvignon e 10% syrah. Maceração pré-fermentativa a frio a 10o C. Fermentação entre 26o e 28o C, com remontagens e delestagem, seguida de fermentação malolática e maceração pós-fermentativa. Passa 16 meses em barris de carvalho francês e 6 meses em garrafa com temperatura controlada a 15o C. De cor vermelho profundo, com delicados matizes de bordô. No nariz destacam-se frutos negros, notas defumadas, amêndoas tostadas, especiarias e baunilha. Na boca, um caráter marcante com entrada franca, grande estrutura e final prolongado. Ideal com carnes de caça, massas com molhos condimentados e verduras grelhadas.

CHILE

Tricky Rabbit Pinot Noir/Syrah Reserva, da vinícola Invina, região de Maule Valley, com 75% pinot noir e 25% syrah. As uvas foram maceradas a frio durante 5 dias, depois fermentadas em tanques de aço inoxidável entre 24o e 28o C. Envelhecido durante 8 meses em barris de carvalho novos e usados. No nariz toques florais, cerejas, ameixas, passas e baunilha. Na boca leve com notas sutis de fumo. Ideal para harmonizar com cordeiro assado, aves de caça, carnes vermelhas e brancas, queijos curados, peixes e massas.

Da Invina, temos também o vinho Tricky Rabbit Cabernet Sauvignon/Syrah Reserva, tem 60% cabernet sauvignon e 40% syrah. Maceração a frio das uvas por 5 dias, após fermentação em tanques de aço inox entre 24o e 28o C. Envelhecimento em barris de carvalho novos e usados por 8 meses. No nariz, aromas de frutas vermelhas, acidez surpreedente. Frescura, tons de tabaco persistente. Na boca sabor de chocolate delicado. Harmoniza com diferentes cortes de carne vermelha, queijo maduro e massas.

Carabantes Syrah Premium, da vinícola Vinã Von Siebenthal, da região de Aconcagua Valley, tem 85% syrah e 15% cabernet sauvignon. Maceração a frio. Fermentação e nova maceração pós-fermentação em cubas de aço inox. Envelhecimento por 18 meses em barris de carvalho francês e americano. Descansa em garrafa por mais 12 meses. No nariz aromas intensos de violeta e alecrim. Na boca elegante com taninos finos e forte personalidade. Harmoniza bem com carnes vermelhas. (Robert Park: 91)

Aconcagua Valley e seus vinhedos, ao fundo a Cordilheira dos Andes
Aconcagua Valley e seus vinhedos, ao fundo a Cordilheira dos Andes

ESPANHA

Pino Doncel Vintage, da vinícola Bodegas Bleda, da região de Murcia e Jumilla. Um tinto jovem, com 50% monastrell, 25% syrah e 25% merlot. Não passa em barris de carvalho. De cor roxa avermelhada, excelente intensidade aromática com notas de frutas maduras. Na boca, saboroso e equilibrado com gosto de fruta e toques de alcaçuz. Taninos doces e nobres. Possui final elegante e persistente que convida a uma degustação mais intensa. Excelente com todos os tipos de carnes brancas e vermelhas, assim como de caça e arroz e guisados suculentos. Massas com molhos fortes, queijos curados e semi-curados.

Da Bodegas Bleda oferecemos também o Pino Doncel 12 meses elaborado com 70% de uvas Monastrell e 30% Syrah, um tinto de aromas intensos, bem equilibrado na boca, com presença de carvalho, notas picantes e frutos maduros pretos e vermelhos, mas um final surpreendente de doçura e muita persistência. Fermentação separada para cada variedade. Estágio de 12 meses em barris de carvalho americano e francês. Seleção de carvalho tostado adequado para a mistura final.

Laudum Roble, da vinícola Bodegas Bocopa, localizada em Alicante, com 30% syrah e 70% monastrell. Maceração feita antes da fermentação malolática em temperatura controlada. Envelhecimento por 4 meses em barris de carvalho novos. Cor vermelho cereja intenso. No nariz toque de violeta, frutas negras maduras, especiarias e balsâmico. Na boca taninos maduros com toques aveludados, complexidade, longevidade e final longo com uma certa picância e balsâmico. Combina com tapas, aperitivos, carnes, queijos curados, paellas e risotos.

FRANÇA

Château Le Thou Collection Rouge, da vinícola francesa, Famille Valery, de Coteaux du Languedoc (França), tinto com 70% syrah e 30% grenache. Colheita noturna com debulhadora mecânica em parcelas selecionadas. Fermentação alcoólica entre 25o e 28o C com 3 remontes por dia durante 15 dias. Fermentação malolática. Sua degustação apresenta corpo médio, redondo e equilibrado. Aroma discreto com notas de cereja, couro e madeira. Redondo e equilibrado com finos toques de frutos dos bosques. Ideal com carnes, pratos da culinária francesa, italiana, mediterrânea, oriental, queijos e até sorvete de figo. Vinho premiado com a Medalha de Bronze no Concurso de Grands Vins de France de Mâcon.

Signature Rosé, da vinícola francesa, Château de Brigue, região da Provence. Com 40% syrah, 40% cinsault e 20% grenache. Fermentação em cuba de inox e maceração a frio com as cascas e o mosto por 10 horas. Não passa por barricas de carvalho. Aromas de limão, peras e uvas. Na boca um delicado sabor de framboesa, morango e cereja. Redondo, fresco e persistente. Harmoniza bem com legumes e pescados assados com funcho, foie gras de pato com figos, tartar de atum, filé de peixe com especiarias e frutos do mar em geral.

Vinhas na Provence na Primavera
Vinhas na Provence na Primavera

Da mesma vinícola, Prestige Rosé com 40% grenache, 30% mourvèdre e 30% syrah. As uvas são colhidas durante a noite apenas, pressionadas diretamente e vinificadas em tanques de aço inoxidável a uma temperatura controlada durante a fermentação. De cor clara e brilhante. Na boca taninos lisos com sabores de groselha vermelha e caracterizados por um acabamento cítrico. Combina com lagosta grelhada, frutos do mar, legumes frescos e grelhados.

2 respostas para “5 fatores pouco conhecidos sobre o vinho shiraz”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *