Conheça os ótimos vinhos portugueses da Região do Douro

Quando se fala em vinho, não há como negar que Portugal tem um espaço importante no mercado com suas tradicionais bebidas. Inclusive, suas maiores regiões de produção vinícola são consideradas Patrimônio Cultural mundial: o Douro e a Ilha do Pico. 

A região do Rio Douro em Portugal nos presenteia com vinhos que apresentam características diferentes. Todos, no entanto, de alta qualidade e surpreendentes.

Continue a leitura para conhecer um pouco mais sobre o Rio, a região e seus vinhos.

Região do Douro

O Douro é uma região vinícola, centralizada no rio Douro, na região de Trás-os-Montes, no norte de Portugal. Também é chamada de Alto Douro, por ser protegida por cadeias de montanhas que estão localizadas próximas à cidade do Porto e ter influência costeira.

Região do Rio Douro, no norte de Portugal.
Região do Rio Douro, no norte de Portugal.

A zona vitícola cobre as áreas íngremes ao longo das margens do rio, que são uma das mais longas da Península Ibérica. Desde a sua fonte no norte da Espanha, o Rio Douro atravessa as famosas vinhas da Ribera del Douro antes de encontrar a fronteira portuguesa e se tornar o Douro.

Ele corta a paisagem, criando uma região vinícola única e histórica até chegar no Oceano Atlântico.

A região do Douro é uma das 13 sub regiões portuguesas identificadas no estudo do geógrafo Amorim Girão, da década de 1920. Muito antes disso, em 1756, Douro se tornou uma região demarcada para a produção vinícola com o alvará do Rei Dom José I.

A chamada Companhia Geral da Agricultura das Vinhas do Alto Douro delineou oficialmente os limites da região vinícola, fazendo dela a primeira denominação regional do mundo.

Embora os limites de Chianti, na Itália, e Tokaji, na Hungria, tenham sido marcados em 1716 e 1737, respectivamente, nenhuma delas tinha o objetivo de controlar e regulamentar as regiões.

Elaborado pelo então secretário do Estado, Marquês de Pombal, a marcação regulamentava todas as exportações do Porto, estabelecia limites de quantidades de produção, fixava preços máximos e mínimos para as uvas e servia como árbitro único em qualquer disputa entre viticultores e remetentes do Porto.

Muitas dessas funções foram desreguladas e, atualmente, o Instituto dos Vinhos do Douro e Porto é o órgão regulador oficial da produção de vinhos da região.

Além disso, com o sistema DOC (Denominação de Origem Controlada), maior classificação de vinhos de Portugal, o conceito de “região demarcada” inventado no início do século XX ganhou um substituto.

Por conta de sua história e beleza, o Douro é muito procurado por turistas. Além de suas vinhas, a região é conhecida por hospedar alguns importantes pontos turísticos de Portugal. A cidade de Lamego atrai milhares de pessoas todo ano por conta do Santuário de Nossa Senhora dos Remédios. Já em Peso da Régua, muitos visitam o Miradouro de São Leonardo de Galafura.

Santuário de Nossa Senhora dos Remédios, na cidade de Lamego.
Santuário de Nossa Senhora dos Remédios, na cidade de Lamego.

A Vila Nova de Gaia é um dos destinos favoritos de quem quer conhecer Porto, mas pretende não gastar muito, já que o município é muito próximo da origem do vinho mais famoso do país.

Miranda do Douro, no entanto, tem a vantagem de fazer fronteira com a Espanha, assim como o Parque Natural do Douro Internacional. E muitos outros lugares também fazem do Douro um incrível destino ibérico para as férias.

Clima e características do Douro

O vale do Douro tem estações muito bem definidas. O inverno é muito frio e o verão, muito quente. Além disso, a região é montanhosa e o clima é seco.

Situada em torno também dos vales mais baixos de seus afluentes Varosa, Corgo, Távora, Torto e Pinhão, a região é protegida dos ventos atlânticos pelas montanhas do Marão e Montemuro, fazendo com que o clima apresente características continentais.

As belas paisagens são, na realidade, resultados do trabalho de homens que, para cultivar as vinhas, enfrentaram as íngremes margens do rio, que podem chegar a 60°.

Os solo que mais se destacam na região são o granito e o xisto. A região é favorável para as videiras, pois, mesmo com o solo rochoso, elas conseguem chegar até a água. É muito comum encontrar vinhas em socalcos (plataformas cortadas para que formem degraus). A técnica é muito utilizada em terrenos inclinados, para que o cultivo seja feito da melhor forma possível e para que haja também o controle da erosão hídrica.

Vinícolas em áreas de socalcos.
Vinícolas em áreas de socalcos.

Geralmente, os vinhos do Porto são produzidos em vinhedos plantados em xisto, enquanto as áreas com solos à base de granito são dedicados à produção do vinho de mesa.

Patrimônio Mundial da UNESCO

Para revelar e sustentar a diversidade de interações entre os seres humanos e seu ambiente, proteger as culturas tradicionais vivas e preservar os vestígios de quem já se foi, muitos locais recebem o reconhecimento de “paisagens culturais”.

O Alto Douro é um Patrimônio Mundial da Humanidade pela UNESCO, nesta categoria. A classificação inclui as vinhas do vale do Douro com seus terraços cultivados em altas montanhas e testemunha o gênio criativo, o desenvolvimento social e a vitalidade imaginativa e espiritual da humanidade.

A região do Douro, tombada pela UNESCO como Patrimônio Mundial.
A região do Douro, tombada pela UNESCO como Patrimônio Mundial.

A paisagem é constituída por vinhas em socalcos em grandes e pequenas propriedades, vilas de paredes brancas e plantações de oliveiras e amêndoas.

A região vinícola recebeu a classificação durante a 25ª sessão do Comitê do Patrimônio Mundial, em Helsinque, Finlândia, que aconteceu entre 11 e 16 de dezembro de 2001.

Região Vinhateira do Alto Douro, ou Alto Douro Vinhateiro, foram os nomes oficiais dados para o Patrimônio Mundial.

A outra região portuguesa de vinhos tombada pela UNESCO como paisagem cultural é a Ilha do Pico, um dos arquipélagos que formam o parque arqueológico dos Açores. A viticultura é registrada lá desde o século XV e muito dessa atividade continua presente até os dias de hoje.

Diferença entre os vinhos

As uvas mais cultivadas na região são a Touriga Nacional e a Touriga Franca. Mas entre os vinhos do Douro, com certeza o mais conhecido é o Vinho do Porto. A nomenclatura é dada quando a bebida é fortificada, ou seja, possui algum tipo de destilado em sua produção. Assim, o teor alcoólico acaba sendo mais elevado e esses vinhos são mais fortes. E diferente do que muitos supõem, não é apenas a cidade do Porto que produz.

Barris de vinho fortificado do Porto.
Barris de vinho fortificado do Porto.

Os que não são fortificados, os chamados “de mesa”, são conhecidos como Vinho do Douro. Geralmente, eles são mais secos e variam desde o estilo de Bordeaux até o estilo do xarope de Borgonha.

No entanto, essas características não fazem desse tipo de vinho uma bebida de menos prestígio. As produções da região portuguesa são mundialmente conhecidas pela alta qualidade.

Experimente o sabor do Douro

Somente a Wine Lovers tem vinhos exclusivos, surpreendentes e de pequenas produções para você experimentar os melhores vinhos do mundo. Esses são os rótulos da região do Douro que você não pode deixar de degustar:

Quinta do Romeu Tinto. De cor vermelha cereja intensa, apresenta boa intensidade, complexidade e elegância. Se você está buscando um vinho orgânico de alto perfil gastronômico e muito equilibrado, esta é a sua escolha ideal. Perfeito para acompanhar carnes vermelhas, assadas ou grelhadas.

Moinho do Gato Tinto, também da vinícola Quinta do Romeu. O perfil de aroma frutado, jovem e suave confere a este blend da região do Douro uma elegância única. Ideal para acompanhar carnes vermelhas, grelhadas ou assadas.

Quinta de Arcossó Branco. É um vinho com cor esverdeada que equilibra frescor e mineralidade. No nariz, tem aroma cítrico e notas de frutos frescos. Combina com frutos do mar, saladas, pescada branca e queijos macios. Valerá a pena seguir as nossas dicas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *